06/03/09

"O Desinteresse pela Duração" - Praia de Caminha, Dezembro de 2008






“Uma arte que não quer durar é uma arte optimista, sem medo da morte.”
(Álvaro Lapa – ESBAP – Sebenta de Estética II, 1988/1999)

“O acaso nunca o é em sentido absoluto.” (Idem)

“O que é aparentemente ocasional pode ser excessivamente pensado.” (Idem)

“A obra de arte enquanto coexiste com os mass media perde a aura. Perdeu-se a aura. Está-se na arte moderna com regras especiais de industrialismo crescente que interioriza pânicos e exterioriza guerras. Quotidiano irracional. A arte denuncia de um modo impotente.” (Idem)

“A arte é a apoteose da solidão.” (Idem)

“Toda a arte é uma forma de utopia.” (Idem)

“Quem saboreia concretamente as obras de arte é um ignorante.” (Idem)

“Ela basta-se em encarnar um processo. Ela, a arte.” (Idem)

“O gosto é um condicionamento.” (Idem)

1 comentário:

Isabel Sá disse...

PARABENS!
O blog está fabuloso!
Continua o excelente trabalho a que já nos habituaste. Continua a ser a pessoa linda e maravilhosa que és. Parabens pelo teu trabalho.
Um grande beijinho,