29/07/12

Um dos meus escritores de culto: Paul Auster

"(...) O que me excitava era a imprevisibilidade, a aventura de nunca saber o que é que ia acontecer no espetáculo seguinte. Se a única mola que nos faz avançar é o amor dos outros, é cair nas graças dessa massa cinzenta que é o público, então, mais tarde ou mais cedo, acabaremos por ganhar maus hábitos e o público acabará por se cansar de nós. Temos de nos pôr constantemente à prova, temos de encarar o nosso talento como um instrumento elástico que deveremos puxar tanto quanto possível (...)": 140 in "Mr. Vertigo", ed. ASA

Sem comentários: