19/07/10

Mário Vargas Llosa, "Os cadernos de Dom Rigoberto"


"(...) É verdade: sou anti-social na medida das minhas forças, que infelizmente são fraquíssimas, e resisto à gregariação em tudo aquilo que não põe em perigo a minha sobrevivência nem os meus excelentes níveis de vida. Tal como o lês. Ser individualista é ser egoísta (Ayn Rand, The Virtue of Selfishness), mas não imbecil. (...)"
"(...) Os pintores, os poetas, os músicos. Têm muitas coisas dentro, tantas que, às vezes, não cabem numa pessoa só. (...)"
"(...) A pornografia despoja o erotismo de conteúdo artístico. (...)"
"(...) A obrigação da música para comigo é mergulhar-me numa vertigem de puras sensações, que me faça esquecer a parte mais aborrecida de mim mesmo, a civil e municipal, me desoprima de preocupações, me isole num enclave sem contacto com a sórdida realidade circundante (...)"

Sem comentários: