23/04/09

"tenho as mãos espalmadas sobre o tampo da mesa, olho fixamente as canetas, a máquina de escrever, o papel, não me ocorre uma só palavra que deseje escrever, uma só ideia. (...) mantenho-me imóvel, penso que gostaria de falar comigo mesmo em voz alta, mas tenho receio de me acordar."
(Al Berto em "O Medo", texto de 18 de Maio de 1982)

"Sinto-me como se tivesse cegado por excesso de olhar o mundo"
(idem, de 16 de Maio de 1982)

Sem comentários: